5 locais para explorar na Região Norte de Portugal

Quais são os melhores locais para visitar no Norte de Portugal? O Norte de Portugal é o berço da nação. O Norte de Portugal é uma terra genuína, repleta de paisagens agrestes e deslumbrantes. Aqui pode sentir o espírito e a alma de Portugal e as suas gentes são das mais acolhedoras e verdadeiras do país. Vão recebê-lo de braços abertos, sorriso na cara e mesa farta, cheia de iguarias típicas desta região. São muitos os locais para visitar no Norte de Portugal mas esta região irá surpreende-lo, sobretudo, pela generosidade das suas gentes.

É nesta maravilhosa região de Portugal que podemos encontrar as 5 maravilhas que se seguem:

01 – Alvão | A Serra do Alvão é o lugar ideal para os amantes de atividades de natureza e de cursos de água. O Parque Natural do Alvão, situado nos concelhos de Mondim de Basto e Vila Real, é famoso pelas Fisgas de Ermelo, uma das maiores quedas de água da Europa, que disparam o rio Olo a mais de 200 metros de altura. Nos teus caminhos pela natureza poderás observar lobos-ibéricos, gralhas-de-bico-vermelho, morcegos-de-bigodes, águias cobreiras e uma flora incrível, com mais de 480 espécies, onde se destacam o carvalho, azevinho, erva molar e rosmaninho.

02 – Montesinho | Montesinho é uma aldeia típica transmontana, situada nos contrafortes da Serra de Montesinho, a cerca de 1000 metros de altitude, em pleno Parque Natural de Montesinho. Deixe que a serenidade desta aldeia o seduza e passe uns dias instalado numa das casas adaptadas para turismo, em granito, com telhados em lousa e varandas em madeira, abertas para a serra! Caminhe pelas ruas da aldeia, calcetadas e bem cuidadas, e descubra a Igreja de Montesinho, o Núcleo Interpretativo de Montesinho e o Museu instalado numa casa típica transmontana, onde poderá conhecer a caracterização geológica de Montesinho e os modos de vida tradicionais desta “aldeia preservada”.

03 – Lindoso | A aldeia do Lindoso situa-se numa encosta debruçada sobre uma apertada garganta do vale do rio Lima e é coroada no alto por um castelo já mencionado em documentos do séc. XIII. Devido à sua localização geográfica junto da fronteira, o sítio teve sempre grande importância militar para Portugal, nomeadamente durante a Guerra da Restauração entre Portugal e Castela, em 1640. Alternadamente nas mãos de espanhóis ou de portugueses, a fortaleza só ficaria definitivamente na posse portuguesa em 1663 e nesta fase final da guerra transformou-se num fortim, cujas paredes e guaritas se encontram intactas.

04 – Pinhão | Pinhão é considerado o centro geográfico da Região Demarcada do Douro e é aqui que se situam muitas das quintas produtoras do vinho do Porto, algumas oferecendo alojamento na modalidade de turismo no espaço rural. Digno de nota é o edifício da Estação de Caminhos de Ferro, construída no final do séc. XIX, cujo interior é inteiramente revestido de painéis de azulejos.

05 – Rio de Onor | Rio de Onor é um caso emblemático, reforçado pela sua posição fronteiriça, com a homónima espanhola, – Rihonor de Castilla. As populações de ambos os lados vivem essencialmente da agricultura e da pastorícia, onde o sistema comunitário de base ainda se mantém nalguns aspectos do quotidiano da população, sob a forma de posse colectiva de alguns bens,- os campos, os moinhos, os rebanhos -, e pelo modo de administração rural, levada a cabo por dois mordomos, designados pelo conselho, assembleia que reúne representantes de todas as famílias, os vizinhos – actualmente em esquema de rotação cíclica, de modo a que todos possam exercer as funções. Em Rio de Onor as suas gentes utilizam um dialecto muito próprio (o rionorês), com memória e orgulho do seu passado e vaidade nas suas tradições.